Trabalho Construtivo

No primeiro dia do mês de maio, é comemorado, mundialmente, o dia do trabalho, uma importante atividade que demanda grande parte do dia ou da noite, durante um período de 30 a 40 anos da vida do ser humano.

O trabalho, para quem desconhece as verdades espirituais, pode ser considerado como uma fonte de obrigação, sacrifício, tristeza ou, no mínimo, uma necessidade para sobrevivência. Pode ser encarado como algo ruim, um pensamento do tipo “melhor seria se não fosse preciso trabalhar”; entretanto, o trabalho é uma fonte de experiências e aprendizado constante, dependendo de como o executamos.

O mestre Cristófilo Nageo, fundador e idealizador da verologia, em um de seus ensinamentos diz: “O trabalho construtivo gera estimulo, entusiasmo e triunfo, ao passo que a ociosidade conduz ao desânimo, a desorientação e ao fracasso”. As palavras do mestre sempre nos proporcionam uma sensação boa e estimulante. Sejam escritas ou faladas, são sempre transmissoras de uma convicção no bem. São verdadeiros chamados ás melhores manifestações do ser humano como: Honradez, dignidade, verdade, lealdade, altruísmo, justiça, triunfo e tudo o que nos leva a querer ser pessoas melhores. Através da pedagogia verológica, descobrimos que a vida tem um objetivo espiritual, e passamos a receber e vivar as experiências de maneira muito mais produtiva para o nosso desenvolvimento.

O mestre se refere ao trabalho construtivo, porque sabemos que existem aqueles que têm muitas atividades, mas que são inúteis supérfluas ou ate para o mal. O ensinamento afirma que o trabalho construtivo gera: Estímulo – vontade de fazer mais e melhor para alcançar objetivos; Entusiasmo – satisfação; triunfo: realização, recompensa, retorno que pode ser financeiro ou até de produzir o bem para nós ou para os nossos semelhantes.

Quanto mais ocioso, mais o ser humano vai desenvolvendo a preguiça, o desânimo de realizar, se acha incapaz e é tomado pela desorientação, fruto da confusão mental causada pela mente abandonada. Fica sujeito ao fracasso que é conseqüência de todo esse estado. Em trabalho e esforço não se pode obter bons resultados, pois não estamos nesse mundo para isso, estamos aí para aprender, aproveitar o nosso tempo de vida e o desperdício desse tempo nos é cobrado pelas leis eternas, principalmente pela lei de atividade que nos orienta que precisamos organizar a nossa vida para não desperdiçarmos o tempo com inutilidades. Orienta também que quanto mais atividade espiritual mais luminosidade nosso espírito vai adquirindo.

Como as atividades materiais são concretas, apresentando um aspecto de realidade que nem sempre as atividades espirituais oferecem os seres humanos, em sua maioria, se dedicam quase que exclusivamente a elas, sem as orientações que poderiam levá-los a proceder de maneira mais correta. Para que sequencias desfavoráveis não venham a correr, é imprescindível que o ser humano não se detenha apenas no aprendizado de conhecimentos técnicos, nem de formulas de convivência que resultem em atividades superficiais e artificiais. Esta podem iludir, com resultados imediatos, mas como não têm raízes na formação do caráter, da honra e da dignidade, cedo ou tarde decepcionam o próprio individuo e as pessoas de sua relação.

As atividades espirituais são o complemento indispensáveis ao objetivo, da passagem do ser humano pelo mundo terreno. É a base essencial para que os movimentos da vida material sejam acertados. E para essas realizações, temos um tempo determinado, com diz Cristófilo: “Aproveitar o tempo é o mesmo que aproveitar a vida, porque tempo é vida quanto bem aproveitado e vivido”. / “Entre o berço e o túmulo está uma grande oportunidade para a suprema realização de cada alma”.

O melhor aproveitamento do tempo consiste em aplicá-lo no que há de mais importante para a vida humana, eliminando ou reduzindo ao mínimo as atividades inúteis ou supérfluas, habitando-se a aplicar o tempo somente no que é bom e útil, obtém-se progressivamente, o seu maior aproveitamento, aumentando consequentemente a capacidade de trabalho e produção.

A Verologia tem um método que nos conduz a um processo gradativo, mais continuo de trabalho pela Evolução Ativa e Consciente. E é necessário um constante contato com esses conhecimentos portadores de fortíssima energia espiritual para animar ou reanimar continuamente o nosso processo de transformação. 



Extraído de:

Jornal Verologia

Edição XXXIII Nº 413 e 414
Artigo referente a Maio e Junho de 2007

 

Perfil Verológico

Um Edifício Psicológico

Ler mais...

Tome Posse do que é Seu

Ler mais...

Solução de Emergência

Ler mais...

Esperança no Amanhã

Ler mais...

Oportunidade Única

Ler mais...

Pare para Pensar

Criança, Futuro Brilhante.

Ler mais...

Como Enfrentar os Problemas

Ler mais...

Saber Viver Bem

Ler mais...

Bom Senso

Ler mais...

Dia Feliz

Ler mais...

Gotas de Sabedoria

Exaltar-se ou Humilhar-se

Ler mais...

Ser e Não Ser Não Pode Ser

Ler mais...

Podemos ou Não Ver a Deus?

Ler mais...

Acertos e Desacertos da Vida

Ler mais...

O Caminho, a Verdade e a Vida

Ler mais...

Raios de Luz

Mãe: Amor Incondicional

Ler mais...

Tristeza: Ferrugem da Alma

Ler mais...

Paz de Espírito

Ler mais...

A Essência do Natal

Ler mais...

A Paz é Possível

Ler mais...

Livros

Criado por Agência Núcleo