Ser Mãe de Verdade



Para ser mãe de verdade é preciso ter um coração puro.

Mas, para isso, não basta manter uma aparência física limpa, elegante e agradável, nem falar com termos pomposos, com soberbia e ostentação, procurando, na verdade , se sobressair entre os demais. Ter coração puro é possuir um inteiro, digno, incapaz de compactuar com a mentira, em hipótese alguma.

São muitas as pessoas que se dizem honestas e vivem uma vida superficial, agindo egoisticamente, explorando seu semelhante, procurando tirar vantagens. Isso porque ter um coração puro e difícil. Hoje em dia, agir com “esperteza”, desonestamente, é considerado o certo, pois desperta boa colocação no conceito de muitos. A consciência, que deveria se manifestar omite-se.

Realmente, poucos conseguem ser puros de coração, tal como Jesus Cristo fala no “Sermão da montanha”, no evangelho dos apóstolo Matheus, pois torna-se necessário um trabalho interior constante, com muita vigilância. Palavras impuras precisam ser eliminadas do nosso vocabulário, porque nos proporcionam um clima inferior e confuso. E a violência não deve existir, nem considerando que as mães possam agir assim para corrigir seus filhos, já que há meios de se educar usando a lógica, o bom senso e a tranquilidade: isso surtirá um efeito muito melhor e eficiente, sem dar exemplo negativo de agressão.

É importante não reagir subitamente, deve-se conversar com o filho e fazê-lo compreender que errou. No caso de brigas entre irmãos, cabe à mãe inteirar-se do que aconteceu e alertá-los para não implicarem um com o outro, evitando desavenças  e desunião. Nesse momento, ela precisa usar palavras equilibradas e positivas, que produzam um resultado objetivo e eficaz, diferente da reação desajustada que leva ao arrependimento e nada resolve. Este comportamento é que fortalece a firmeza de caráter, outra virtude de mãe de verdade.

Há mães que zelam tanto pelos filho que acabam desrespeitando o seu livre arbítrio, impedindo-os de realizar o que escolheram para suas vidas... É o caso daqueles que são  obrigados a seguir a profissão que elas preferem. E há, também filhos que namoram com tantos limites, provocados pelas mães, que acabam solteiros no sentimentos que alimentam. Esses são alguns exemplos que observamos no nosso provocados pelos mães, que acabam solteiros e prejudicados no sentimento que alimentam. Esses são alguns exemplos que observamos no nosso dia-a-dia.

De fato, para ter coração e ser mãe de verdade é imprescindível cultivar a dignidade, o altruísmo e a sensatez. A ciência verológica nos permite não só desenvolver essas prerrogativas, como também mantê-las através da realização do nosso processo de evolução ativa e consciente para que sejamos constantemente felizes.

Cristófilo Nageo nos ensina: “Não basta estar feliz. O essencial é ser feliz”. Não podemos nos alimentar de alguns momentos fugazes, voltando logo para a tristeza e a insegurança. Torna-se necessário que conquistemos a felicidade no nosso mundo interno, evitando que pensamentos inferiores nos abalem, raciocinando nobremente e tornando-nos cada dia mais aptas a auxiliar a todos e, principalmente, aos nossos filhos. Isso demonstrará que temos pureza de coração e somos mães de verdade.

Quem tem ou teve uma mãe de verdade – amorosa, humana, compreensiva, equilibrada, amiga de todas as horas, íntegra – tem grandes motivos para se orgulhar dela e sentir-se muito feliz. Minha mãe era uma pessoa maravilhosa, sempre participante em todas as fases da minha vida e de todos os seus filhos, conciliadora e preocupada com a união entre todos eles. A somente que ela plantou foi tão fértil que, mesmo depois da sua partida para o outro lado da vida, eu, meus irmãos e minhas irmãs continuamos unidos, realizando três ou quatro reuniões de confraternização por ano. Nessas ocasiões, falamos sobre momentos agradáveis da nossa infância ou da nossa juventude, sem esquecer-se de homenagear os que já partiram: nossa querida mãe, nosso amado pai e nossa inesquecível irmã Theodalva.

É bom lembrar que o cultivo do amor nos ajuda muita nas relações familiares. É por isso que, nas dissertações do apóstolos João, encontramos as palavras de Jesus Cristo, que são quase uma ordem: “Isto vos ameis uns aos outros”.

Nesse dia das mães, parabéns e felicidades a todas as mês. Que a educação de nossos filhos seja sempre baseada no amor, demonstrando que temos coração puro e somos mães de verdade!!!

 

 



Extraído de:

Jornal Verologia

Edição XXX Nº 377 e 378
Artigo referente a Maio e Junho 2004



Perfil Verológico

Um Edifício Psicológico

Ler mais...

Tome Posse do que é Seu

Ler mais...

Solução de Emergência

Ler mais...

Esperança no Amanhã

Ler mais...

Oportunidade Única

Ler mais...

Pare para Pensar

Criança, Futuro Brilhante.

Ler mais...

Como Enfrentar os Problemas

Ler mais...

Saber Viver Bem

Ler mais...

Bom Senso

Ler mais...

Dia Feliz

Ler mais...

Gotas de Sabedoria

Resignação Consciente

Ler mais...

Acertos e Desacertos da Vida

Ler mais...

Luz e Trevas

Ler mais...

Fome e Sede Espiritual

Ler mais...

Livre Arbítrio

Ler mais...

Raios de Luz

Mãe: Amor Incondicional

Ler mais...

Tristeza: Ferrugem da Alma

Ler mais...

Paz de Espírito

Ler mais...

A Essência do Natal

Ler mais...

A Paz é Possível

Ler mais...

Livros

Criado por Agência Núcleo