Relação entre as Cores e o Sistema Psicológico

Manifesta-se em cada Criatura, desde sua infância, a influência que as cores exercem sobre a psicologia humana.

Não nos consta haja sido explicado satisfatoriamente, até agora, o porque dessa influência que tantas emoções desperta nos Entes Humanos, sobretudo nas crianças.

A explicação está, segundo o Conhecimento Verológico, na relação que as cores têm com os sete Órgãos Psicológicos.

A Verologia dá a conhecer que as sete cores do Arco íris correspondem, respectivamente, aos referidos Órgãos Espirituais.

Isto não é apenas formoso, mas também divino, pois a origem de todas as cores está no Arco-íris, que, por isso mesmo, também é chamado o Arco-de-Deus.

Esse divino fenômeno da Natureza tem, ainda, o nome de Arco-da-Aliança. E isto porque, consoante a Escritura Sagrada, Deus estabeleceu uma Aliança com a Humanidade logo após o dilúvio em que Noé conseguiu salvar-se, juntamente com os membros de sua família, na Arca por ele mesmo construída sob a orientação do próprio Deus Todo-poderoso.

Pelo contexto exarado no primeiro livro de Moisés, denominado “Gênesis”, disse Deus a Noé:

“Eis que vou estabelecer a minha Aliança convosco e com a vossa posteridade. Estabelecerei a minha Aliança convosco e não será mais exterminada toda carne pelas águas do dilúvio”.

Observando que, depois dessa Aliança, tem havido, em muitos pontos da Terra, inúmeros dilúvios em que morreram afogados incontáveis Seres Humanos, a Verologia chega à conclusão deque essa Divina Aliança diz respeito a outra espécie de dilúvio.

Depois de profundas meditações, chega, afinal, a Verologia à conclusão de que essa Aliança diz respeito ao dilúvio dos pensamentos inferiores e das baixas paixões, que jamais exterminarão os Seres Humanos dedicados ao desenvolvimento e aprimoramento de seus sete Órgãos Psicológicos, através de um verdadeiro processo de Evolução Ativa e Consciente. E isto porque todo as calamidades (inclusive a do afogamento nas águas diluvianas, conforme atesta esse episódio bíblico) só ocorrem, segundo tudo indica, para corrigir as pessoas ou as almas que permanecem indiferentes à Via Espiritual, ou que, trilhando caminhos errados, se extraviam espiritualmente.

A Verologia chega também à conclusão de que Noé era um Mestre de Sabedoria Suprema. Por isso mesmo, Deus lhe outorgou o direto de salvar daquele dilúvio a si mesmo e aos componentes de sua família. Foi um Ato de Justiça. E não um privilégio.

A família de Noé, consoante as revelações verológicas, era uma Família Espiritual em que todos estudavam, compreendiam e procuravam cumprir as Leis Eternas. Isto é perfeitamente aceitável porque, em face desse texto bíblico, só entraram na Arca, juntamente com Noé, sua mulher seus três filhos e as mulheres de seus filhos.

Se tomássemos esse tópico bíblico “ao pé da letra”, não encontraríamos explicação para o repovoamento da Terra, que se tornaria demasiadamente lento se a multiplicação da espécie fosse efetuada apenas através desses três casais, visto que Noé e sua esposa eram muito idosos.
Não há dúvida, portanto, de que existe um simbolismo em tudo isto, simbolismo que ainda não tinha sido explicado e que a Verologia está revelando aos seus praticantes, isto é, aos que frequentam as aulas verológicas e realizam os altos Ensinamentos ali estudados e compreendidos.

A Sabedoria Verológica dá a conhecer, outrossim, não só a relação das sete cores do Arco-íris com os sete Órgãos Psicológicos, mas também de muitas outras cores com inúmeras manifestações das faculdades espirituais.

À medida que o Verólogo vai evoluindo, vai-se apercebendo das cores que têm maior influência sobre seu Mundo Interno, da mesma forma que se vai apercebendo, intuitivamente, da cor atinente a cada manifestações psicológica. Isto auxilia sua autodefesa e sua Evolução Ativa e Consciente. Além disso, ele se habitua a dar preferência às cores de repercussão positiva e a evitar as cores de repercussão negativa.

Com a Lição resumida neste capítulo, os Verólogos entram na posse de novas revelações verológicas. Resta-lhes empenhar-se para compreendê-las e aplica-las à sua vida prática, sobretudo no intercâmbio de compreensões com os seus condiscípulos, ou melhor, com os que estejam em grau de adiantamento semelhante ou superior ao deles.

Que todos os Verólogos trabalhem, incessantemente, no sentido de chegar – o mais breve possível – aos elevados graus de aprimoramento espiritual que farão brilhar, em seu Mundo Interno, as divinas cores do Arco-íris!

Que todos os Verólogos se compenetrem de que, na atualidade, nossa Instituição é a Arca, muito bem construída, que salvará a Família Verológica do pior de todos os dilúvios: o dilúvio dos pensamentos inferiores das baixas paixões, que, infelizmente, se avoluma cada vez mais.

Felizes são os Verólogos porque poderão escapar ao mais destruidor de todos os dilúvios, dentro da Arca especialmente construída par tal fim. E, mais ainda, porque estão devidamente preparados para trabalhar, com extraordinária eficiência, pelo soerguimento da Humanidade e para que haja no Mundo Terreno uma Verdadeira Civilização Cristã!

Estimamos sinceramente que o prezado leitor, ainda não integrado na Família Verológica, venha incorporar-se a ela, a fim de salvar-se e colaborar pela salvação de muitos outros Entes Humanos.

Criado por Agência Núcleo