O Exemplo na Educação

Imprimir


Educar filhos é uma grande experiência e uma grande responsabilidade, pois a Educação, o ambiente, os estímulos e, principalmente, os Exemplos que são assimilados por nossos filhos, na convivência diária, vão moldando sua personalidade e facilitando ou não o seu caminho em busca da tão almejada felicidade.

Nosso Mestre Cristófilo Nageo, profundo conhecedor da alma humana e pai de oito filhos deixou este Ensinamento: “ É certo que o pai e a mãe precisam dar a seus filhos um tratamento amoroso, mas não tolerante demais, enérgico, mas não violento. No entanto, não menos certo é que necessitam de preparo psicológico para oferecer-lhes mais exemplos edificantes do que simples conselhos”.

Compreendo que um tratamento amoroso é mais do que aquele sentimento forte que une mães e filhos: é dar atenção, é respeitar os humores da criança, é procurar compreender seus sentimentos, seus medos, suas dúvidas, suas reações e também suprir suas necessidades básicas de estudo, de alimentação e de um tempo para brincar.
Significa, também, estabelecer limites claros que possam ser compreendidos e cumpridos por ela. É mostrar que todos, inclusive as crianças, têm direitos e deveres, que devemos respeitar para sermos respeitados.

O Amor deve ser, muitas vezes, enérgico, sem que se perca o autocontrole: nunca devemos ser violentos, nem em palavras nem em atos que diminuam a criança e a façam perder sua auto-estima.
Enfim, Amor não é só sentimento, é equilíbrio, é paciência, é ser sensato em atos e palavras, é ser carinhoso e, às vezes, duro, é beijar, abraçar, rir junto e chorar junto. É, também, desculpar-se, quando se erra, porque não somos perfeitos. Estamos todos aprendendo a nos transformar para melhor e errar faz parte do aprendizado.

Há, no entanto, uma única maneira, realmente eficaz, de educarmos nossos filhos para que sejam pessoas dignas e felizes: é o nosso Exemplo. Como diz Sêneca: “Os exemplos movimentam mais do que palavras”. Se quisermos que nossos filhos sejam pessoas altruístas, honestas, equilibradas, etc., precisamos prestar atenção, a todo instante, em nossos próprios atos, pois, as crianças estão atentas a tudo o que fazemos e é aí que moldam suas próprias atitudes.
Os pais educam os filhos, educando a si mesmos.

A Verologia ensina, de maneira simples, através de sua Pedagogia e de seu Método, a nos conhecermos melhor, percebendo, através de nossas experiências diárias, onde estamos errando, que defeitos temos e como transformá-los em virtudes através de um trabalho sobre nós mesmos. Sem esse preparo psicológico, sem uma orientação segura, como poderemos orientar nossos filhos? Se não soubermos ser altruístas, honestos e equilibrados, como poderemos Educar nossos filhos para que eles o sejam? Pois, como disse Jesus:“Não há árvore boa que dê mau fruto”.

Logo, desenvolvendo nossas virtudes e nossas Prerrogativas Espirituais, seremos melhores e poderemos educar melhor, dando Exemplos claros, seguros e verdadeiros. A Verologia, além de preparar pais e mães para essa tarefa árdua e fundamental que é educar bem uma criança, dispõe também de um Setor Infantil, onde as crianças aprendem, desde cedo, as melhores Orientações Morais e Espirituais.Não se trata de simples conselhos, são grandes e profundos Ensinamentos, em uma linguagem simples e compreensível para as crianças, que aprendem a escolher os melhores pensamentos como companhia, a serem responsáveis, amigas, respeitosas, a se defenderem acertadamente, a serem perseverantes e a desenvolverem tantas
outras virtudes.

Enfim, seria bem mais simples Educar se todos se dispusessem a estudar, compreender e praticar os Ensinamentos dos Grandes Mestres de Sabedoria Suprema, como fazemos aqui na Verologia. Os pais seriam grandes Exemplos para seus filhos, os filhos se tornariam homens e mulheres espiritualizados, capazes de dar grandes Exemplos para seus próprios filhos e a Humanidade seria, então, muito mais feliz.

 

 

Extraído de:

Jornal Verologia

Edição XXVIII Nº 489 e 490 
Artigo referente a Setembro e Outubro de 2013

 

Tags: , , ,