Amor Divino


Coluna Gotas de sabedoria

Caríssimo (a) eleitor (a) do jornal Verologia, após falar das trevas e do perdão no bimestre anterior, falaremos do Amor Divino, tomando como base o ensinamento do Divino Psicológico, Jesus Cristo, que diz: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.”


A Verologia esclarece que o Amor Divino é profundo, sublime, tonificante e perene, estampo nas atuações das leis eternas que reagem o universo e a humanidade, em toda a natureza, no reino mineral, vegetal, animal e no hominal que, segundo a Verologia, é o reino qual o homem pertence, além de ser focalizado, principalmente, em todos os ensinamentos dos mestres de sabedoria suprema que passam pela terra, destacando-se o mais dos mestres: Jesus Cristo.

O Amor Divino está refletindo na totalidade das virtudes, ou melhor, das faculdades e manifestações do supremo poder de Deus, que estão dentro de nós em estado embrionário, mais desenvolvidas em uns e menos desenvolvidas em outros, mas que todos possuem: a partícula divina. Deus é macrocosmo e nós macrocosmo. Isso está confirmado em Moisés que disse: “O senhor é feito a imagem e semelhança de Deus.” Essa imagem e semelhança estão no espírito ou no sistema psicológico e não no corpo físico.

Antes de amor a que Jesus cristo se refere, é necessário esclarece que, na concepção verológica, algumas manifestações compõe este amor, tais como: fidelidade, rigor, obediência, gratidão, senso de responsabilidade comum, paciência inteligente, prudência, bom senso, otimismo, sensibilidade, piedade, misericórdia, perdão, tolerância, cordialidade, delicadeza, suavidade e coragem sensata. A Verologia  nos ensina, inclusive, a administrar zelosamente os nossos bens e os que são confiados, além de alguns dos mais profundos, que estão no âmago do espírito  do ser humano: senso de responsabilidade, lealdade, penetração, psicológica, segurança, dignidade, confiança, serenidade, altruísmo, resignação, clarividência, intuição, união com deus e muitos outros. Essas são as manifestações que citei para que o caríssimo (a) leitor (a) tenha uma idéia do Amor Divino que Jesus Cristo demonstrou não só no exemplo em vida, na sua passagem pela terra, como também nas mensagens eternas contidas em seus ensinamentos.

Quando o mestre Jesus diz: “Um novo mandamento vos dou ele está falando para toda humanidade, mas principalmente para seus discípulos de todas as épocas que recebem seus ensinamentos de verdadeiro amor. A palavra mandamento, espiritualmente falando, é conhecido  imprescindível que deve ser observado, estudado, compreendido e colocado em prática para fazer desabrochar as manifestações citadas e todas as outras a fim de que sejamos realmente felizes.

“Que vos ameis uns aos outros”, para realizar esse amor, primeiro, entre eles, pois estão identificados com os mesmo pensamentos, sentimentos e manifestações transcendentais. É preciso adquirir muito conhecimento e experiência, ao longo de forma segura, eficiente e completa quem ainda não conhece o Amor Divino.

 

 

Extraído de:

Jornal Verologia

Edição XXXV Nº 433 e 434
Artigo referente a Janeiro e Fevereiro de 2009

Perfil Verológico

Um Edifício Psicológico

Ler mais...

Tome Posse do que é Seu

Ler mais...

Solução de Emergência

Ler mais...

Esperança no Amanhã

Ler mais...

Oportunidade Única

Ler mais...

Pare para Pensar

Criança, Futuro Brilhante.

Ler mais...

Como Enfrentar os Problemas

Ler mais...

Saber Viver Bem

Ler mais...

Bom Senso

Ler mais...

Dia Feliz

Ler mais...

Gotas de Sabedoria

O Ciúme, a Suscetibilidade e a Sensibilidade

Ler mais...

O Essencial é Ser Feliz

Ler mais...

Fome e Sede Espiritual

Ler mais...

Acertos e Desacertos da Vida

Ler mais...

Misericórdia

Ler mais...

Raios de Luz

Mãe: Amor Incondicional

Ler mais...

Tristeza: Ferrugem da Alma

Ler mais...

Paz de Espírito

Ler mais...

A Essência do Natal

Ler mais...

A Paz é Possível

Ler mais...

Livros

Criado por Agência Núcleo